Debora, 13 anos, não resistiu ao tiro recebido na cabeça e morreu na madrugada de ontem, no Hospital Cajuru. Ela foi baleada na madrugada de sexta-feira, em um barraco na Rua Professora Olga Balster, Moradias Cajuru, durante uma fuzilaria promovida por dois ou três homens, quando Anderson Cordeiro Veloso, 25 anos, o “Giva”, foi morto na hora. Os criminosos fugiram sem ser identificados.

Quando os assassinos invadiram a residência, havia cinco jovens no interior dela, mas apenas a menor e o rapaz foram baleados. Os sobreviventes contaram à polícia que os homens estavam encapuzados e começaram a atirar sem dizer nada. Foram cerca de 30 disparos dentro do barraco, com pistolas calibres 380 e 765, conforme indicavam os estojos encontrados.

A namorada de Anderson, Cristiane, 19 anos, caiu na valeta que margeia a moradia pela parede de madeira, derrubada pelos desconhecidos. O dono da casa, Alisson, 18 anos e outro rapaz que estava com o grupo também saíram ilesos. Quatro tiros atingiram a face e a boca de Anderson, e deixaram-no morto sobre o colchão. Debora, com um tiro na testa e conseqüente perda de massa encefálica, foi levada por socorristas do Siate ao hospital.

As mortes estão sob a investigação da Delegacia de Homicídios.