Um mês depois de ser solto, Henrique Cezar de Melo, 19 anos, foi morto com 15 tiros na Rua Lidia Schwarzback Slonski, Vila Nossa Senhora Aparecida, na CIC. Aos 16 anos, Henrique foi apreendido por roubo e cumpriu pena sócio educativa durante três anos. Mas, com a liberdade veio uma carga cavalar de chumbo, que acabou com sua vida.

Uma vez nas ruas, Henrique passou a atuar como traficante, segundo informaram familiares. Ele comercializa drogas na Vila Nossa Senhora da Luz. Tudo indica que sua presença incomodou traficantes antigos, o que teria motivado a execução.

Os matadores chegaram a enviar recados à família do rapaz. Um tio da vítima, explicou que foi avisado por conhecidos de que a vida do sobrinho corria risco. Um dia antes de ser morto, o rapaz comentou com a mãe que precisava arranjar dinheiro. A promessa foi consumada às 21h40 de sexta-feira.

O jovem não teve chances de defesa: recebeu uma saraivada de balas pelas costas, que totalizou 15 perfurações de bala. A equipe do Instituto de Criminalística recolheu quatro projéteis e três estojos de uma pistola calibre 380.

A equipe da Delegacia de Homicídios investiga o caso e não descarta a possibilidade de se tratar de um crime de vingança ou de mais uma execução comandada pelo tráfico de drogas.

Execuções de jovens ligados ao consumo ou venda de entorpecentes se tornaram rotina na capital e região metropolitana. Normalmente, as mortes são causadas por dívidas contraídas pelos jovens junto a traficantes ou por invasão de território, o que mostra o flagrante desrespeito da lei.