Em julgamento realizado na última sexta-feira no Tribunal do Júri, Alcides Antônio da Silveira, 52 anos, foi condenado a 13 anos de prisão, em regime fechado, por um crime passional ocorrido no Tatuquara, em 2009. O homem foi acusado de matar a ex-namorada, Saray da Cruz Queiroz, 39 anos. Eles namoraram por quatro anos, mas já fazia um ano e meio que ambos tinham terminado o relacionamento e ele tentava reatar. Ambos sempre estavam conversando e Alcides tinha livre acesso à residência da ex.

Na tarde de 4 de novembro de 2009, ele foi até a residência e mais uma vez não teve sucesso em “voltar” com a namorada. À noite, por volta das 21h30, ele retornou à casa, na Rua Alfredo Safanelli, Jardim Ludovica, e depois de dizer “Se você não é minha, não será de mais ninguém”, matou Saray com quatro tiros, na frente das duas filhas dela. Ele fugiu e ficou um tempo foragido. Mas foi encontrado e desde então está preso. O advogado de Alcides, Luís Gustavo Janiszewski, afirmou que vai recorrer da decisão.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook