Átila Alberti
Agnaldo morreu no meio da rua, mas ninguém sabe o motivo.

No meio da Rua Horizonte, no Jardim Arvoredo, em Araucária, Agnaldo Mariano Santos, 32 anos, tombou morto com três tiros na cabeça. O crime aconteceu no começo da tarde ontem, quando vários moradores passavam pela rua. Entretanto, mais uma vez o medo impediu que os moradores dessem qualquer informação à polícia ou à imprensa. ?A única coisa que a gente sabe é que ninguém fala nada, porque se abre a boca, morre?, disse a viúva da vítima, Vera Lúcia Souza Lima, 34.

Agnaldo saiu de sua casa, também no Jardim Arvoredo, às 9h30. Foi visitar a mãe, Neide Mariano Santos, e se despediu com a promessa de voltar para almoçar com ela e as irmãs. Ele iria avisar um amigo, para falar sobre uma vaga de emprego. Ninguém sabe se chegou a dar o recado.

Aviso

Por volta das 13h, vizinhos correram avisar Neide de que o filho dela estava morto. Agnaldo foi executado com tiros na cabeça e morreu antes da chegada de socorro. ?Há quatro meses meu outro filho foi morto em São Paulo, numa desavença envolvendo oferta de emprego. Mas este eu não sei porque mataram. Era trabalhador e não tinha envolvimento com crimes ou drogas?, disse Neide.

Vera Lúcia, que estava amasiada com Agnaldo há cinco meses, também não tem suspeita do motivo do crime. ?Não sei porque fizeram isso com ele. O que me indigna é que muitas pessoas viram o que aconteceu mas ninguém fala nada. Todo mundo aqui tem medo?, diz ela.

Agnaldo trabalhava como pedreiro e deixou dois filhos, um de 16 anos e outro de 6 meses.