Desempregado e usuário de drogas, Jamur dos Santos, 42 anos, foi morto com um tiro no peito no final da noite de segunda-feira, no Boqueirão. Ele foi baleado na esquina da Ruas Acyr Boza e Danilo Gomes, mas teve forças para correr até um “mocó”. Jamur não resistiu e morreu logo depois, sobre uma cama.

De acordo com informações colhidas na cena do crime, Jamur levou um tiro no peito, em frente ao casebre, onde havia uma festa. Gravemente ferido, ele correu até a casa e contou ao irmão que havia sido baleado.

O Siate chegou em poucos minutos, porém não conseguiu evitar a morte do desempregado. Os socorristas ainda comentaram que, na chegada, viram o autor do disparo correndo.

Os policiais tentaram obter informações, porém, não foi possível devido ao estado de embriaguez dos indivíduos que estavam na moradia. “Havia duas testemunhas oculares do crime. Porém, consumiram drogas e bebidas alcoólicas e não tinham condições de prestar declarações”, lamentou o tenente Augusto, do 20.º Batalhão da Polícia Militar.

Marcado

Na mesma esquina em que Jamur foi morto, na noite de 6 março, o usuário de drogas Robson Luís Cerquera, 22 anos, foi executado com um tiro na nuca. Ainda de acordo com o tenente, a polícia já recebeu diversas denúncias dando conta de que pessoas armadas freqüentam o mocó. Além disso, pelo que pôde ser apurado, o casebre também é ponto de consumo de drogas. O crime será investigado pela Delegacia de Homicídios.