Elias Paulo Assis Gato, 43 anos, foi executado a tiros dentro de seu Audi A3, por volta das 21h45 de anteontem, na Rua João Ivanoski, Tingui. No carro havia um travesti que não foi ferido e foi levado à Delegacia de Homicídios para prestar esclarecimentos.

O travesti contou ao delegado Dirceu Schactae, da DH, que faz ponto na BR-476 (Linha Verde) e sempre leva seus clientes para aquela rua, pouco iluminada. Ele contou que foi a primeira vez que esteve com Elias e não o conhecia.

O travesti descreveu que, quando estava no carro com o cliente, outro veículo estacionou atrás e uma pessoa desceu. O suspeito foi diretamente ao vidro do  motorista e, com ordens de “desce, desce”, começou a atirar.

Desespero

Elias tentou escapar dos tiros pelo banco de trás, mas o assassino deu mais tiros, através do para-brisas e acertou a vítima.

O banco traseiro do veículo, segundo o delegado, ficou bastante ensanguentado. Elias saiu do carro por uma das portas traseiras e tombou no asfalto, ao lado da porta do passageiro. A polícia não tem suspeitas de quem seja o autor o crime e tenta identificar o veículo que parou atrás do A3, para traçar a linha de investigação. Elias não tinha antecedentes criminais.

O corpo de Elias foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal que irá determinar quantos disparos atingiram a vítima.