A saída para as festas de final de ano foi o prato cheio para que um homem, de 35 anos, com pelo menos sete passagens, continuasse agindo livremente nas ruas. Na manhã desta terça-feira (5), ele abordou a enfermeira-chefe do Instituto do Rim do Paraná, na Rua Buenos Aires, no Água Verde e levou a vítima refém junto com o carro.

Corsa foi encaminhado à DFRV. Foto: Gerson Klaina.

Simulando estar armado, Diogo Gomes Kusch obrigou a mulher, de 36 anos, a dirigir o carro dela até a Cidade Industrial de Curitiba (CIC), onde a abandonou em um matagal. “Corri e ele fugiu com meu carro. Eu pedi socorro e consegui chegar de táxi até a clínica onde trabalho”, disse a vítima.

Bastante agitado e sem saber dirigir, Diogo continuou pelas ruas da CIC, até que na Vila Nossa Senhora da Luz, bateu em um carro na Rua Orestes Thá. “Ele desceu, começou a ameaçar os ocupantes do outro carro com a arma de brinquedo e uma das testemunhas nos alertou”, contou o soldado Mendes, do 23º Batalhão, da Polícia Militar.

Diogo já foi preso 7 vezes. Foto: Divulgação/Polícia Civil.

A viatura da PM, que passava no momento certo, chegou rápido no local e prendeu o rapaz. “Não demorou muito e ele começou a nos contar do sequestro relâmpago, inclusive disse que teria abandonado a vítima”.

Diogo, que estava em liberdade desde a semana do dia 23 de dezembro, foi encaminhado à Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), junto com o Corsa, roubado da vítima. Na delegacia, os policiais descobriram que ele já deveria ter voltado à Colônia Penal Agroindustrial do Paraná (Cpai), em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, e que, portanto, estava foragido.

Com a vítima, Diogo foi bem violento e chegou a ameaçar dizendo que não tinha nada a perder. “Ele disse que eu sim teria algo a perder, mas ele não, porque disse ter HIV”, contou a mulher. A sensação para a vítima é de segurança, mas não se sabe até quando, porque embora Diogo volte à prisão, porque agora perde o benefício do semiaberto, logo ele pode acabar em liberdade novamente. 

Arma encontrada com Diogo era de brinquedo. Foto: Gerson Klaina.