Uma denúncia anônima de que um veículo estava se deslocando de Santa Catarina para Curitiba com drogas fez com que policias federais apreendessem 10 mil pontos de LSD no início da tarde desta quinta-feira (23).

A apreensão ocorreu durante uma abordagem no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) localizado no quilômetro 56 da BR-116, após os policiais avistarem um automóvel Fox que se assemelhava às características repassadas.

A princípio, os policiais não encontraram nada ilegal no veículo, mas, após uma vistoria minuciosa, localizaram os micros pontos em um pacote que estava no forro do banco do passageiro.

O motorista do carro, de 29 anos, é morador de Florianópolis e já tinha passagem por tráfico de drogas. Com o suspeito, os policiais também apreenderam R$ 1.287,00 em dinheiro que, possivelmente, já seja proveniente da venda do entorpecente.

Segundo o delegado Paulo Roberto Gomes é provável que a droga tenha sido pega na capital catarinense, mas a polícia ainda não sabe onde ela seria vendida e para quem. O delegado também enfatizou o poder de destruição que esta droga pode causar em quem a consome.

“Por ser um ácido, ela pode ser inalada, fumada, cheirada e injetada e mesmo usada uma única vez pode fazer com que o indivíduo tenha ‘flash blacks’ (alucinações) para o resto da vida”, atesta o delegado.

O motorista foi preso em flagrante e encaminhado, juntamente com a droga, para a Superintendência da Polícia Federal, no Santa Cândida, onde foi autuado por tráfico de drogas.

Destruição

“O efeito do LSD é tão agressivo ao corpo que, mesmo a pessoa que usar apenas uma vez poderá ter alucinações pelo resto da vida”, explica Paulo Roberto Gomes, delegado da PF. O preso pode ser condenado de cinco a 15 anos de prisão.