Familiares do tratorista José Marcos Branco da Silva, 22 anos, que foi morto com um tiro pelas costas, disparado por um policial militar, na madrugada de sábado passado, desmentiram a informação de que o jovem chegou a ser socorrido pelos próprios PMs que faziam a abordagem. De acordo com Rode Cristina Branco da Silva, 25, irmã de José Marcos, quem prestou ajuda à vítima foi seu outro irmão, Jessé Branco da Silva, que assistiu à cena da janela de casa.

“Os policiais atiraram e fugiram, deixando meu irmão caído no chão”, comentou a jovem. Ainda segundo os parentes, apenas o soldado Laércio Araújo Vieira estava de plantão naquela noite. Quando foi chamado para atender um caso de arruaça na praça central da cidade, Laércio teria passado na casa do soldado Elias da Silva Correia, que estava de folga, e o convidado para ajudá-lo. “O policial Laércio estava bêbado e chegou atirando”, denuncia Rode.

Os dois PMs foram afastados das funções e estão respondendo a inquérito policial militar. “Todo mundo na cidade está revoltado com esse crime. Nós queremos justiça”, finalizou a jovem.