Vizinhos e parentes do ex-presidiário Ademilson Aparecido Pinotti, 26 anos, assassinado com golpes de facão, na noite de domingo, se revoltaram com o crime e tentaram linchar o acusado – Tiago Ilário da Silva, 20 anos. Na tentativa de escapar, o rapaz correu e subiu na caixa d?água do município a uma altura de 20 metros. Após ser retirado do local pelos bombeiros, os manifestantes ficaram revoltados e atiraram pedras contra os policiais, acertando duas viaturas e incendiando o veículo de uma rádio. Além de Tiago, que foi preso por homicídio, mais duas pessoas foram autuadas em flagrante pelo crime de dano, mas foram liberadas após o pagamento de fiança.

O delegado Amir Salmen, da delegacia de Andirá, contou que Tiago estava sendo ameaçado de morte por Ademilson há mais de um ano. No domingo, Ademilson e mais dois homens foram até a casa de Tiago jurando cumprir as ameaças. Assustado, Tiago se armou com um facão de cortar cana e partiu em direção do trio, mas só acertou Ademilson, que morreu no local. Os outros dois homens fugiram e teriam chamado a família da vítima. Rapidamente, todos foram até a casa do rapaz. Desta vez, Tiago tentou escapar e saiu correndo, sendo perseguido pelo grupo. Ao ver a caixa d?água, que tem uma altura de aproximadamente 20 metros, ele a escalou. A polícia e o Corpo de Bombeiros foram chamados.

Após uma hora e meia de negociação, o rapaz foi convencido a descer da caixa d?água. Para evitar tumulto, ele vestiu uma roupa de bombeiro e foi retirado do local. Ao descobrir a artimanha, o grupo ficou revoltado e atirou pedras contra os policiais e as viaturas, atingindo quatro homens e dois veículos. ?Após os policiais se retirarem, eles ainda queimaram o carro de uma rádio local?, contou Salmen. O Gol da rádio ficou totalmente destruído.

Antecedentes

Salmen disse que Ademilson já tinha diversas passagens pela polícia. ?Inclusive já foi condenado por receptação e estava sendo investigado por tráfico de drogas?, contou o delegado. Segundo ele, não houve uma comoção social por causa do homicídio. ?Foram parentes e vizinhos que se rebelaram para fazer justiça com as próprias mãos?, disse o delegado.

Segundo ele, Tiago foi interrogado e autuado em flagrante por homicídio. Depois foi encaminhado ao xadrez de uma delegacia da região. ?Por medida de segurança não vamos divulgar o local?, avisou o delegado.

Quanto às duas pessoas atuadas por dano ao patrimônio, Salmen informou que elas irão responder pelo crime, mas como a lei prevê pagamento de fiança, elas foram autuadas e liberadas.