Familiares identificaram o rapaz morto na tarde de sexta-feira, no Contorno Norte, em Santa Felicidade. Trata-se do pintor autônomo Altevir Paulo Nader, 30 anos. Ele não portava documentos que o identificassem na hora em que foi encontrado por policiais militares. O irmão da vítima, Altemir Nader, que morava junto com Altevir, contou que ele havia pegado um revólver de alguém para vender. Porém não vendeu a arma e também não prestou contas ao proprietário.

A irmã de Altevir, Senira de Fátima Nader Gualdezi, contou que Altevir era usuário de "crack" há quatro anos. Ele esteve dois meses preso, acusado de um assalto, porém foi solto por falta de provas. Pessoas contaram à Senira que, no dia do crime, Altevir foi visto embarcando em um Gol vermelho, os prováveis autores do assassinato. O perito da Polícia Científica contou que, enquanto periciava o corpo no local, um Gol vermelho passou diversas vezes na rodovia. Senira disse que, além dos tiros, Altevir tinha vários machucados pelo corpo, indicando agressão. Ela acha que o fato pode ter sido um acerto por causa de drogas ou que o irmão pegou a arma para vender, mas acabou usando o dinheiro para comprar crack. Senira ainda ouviu comentários de que as pessoas no Gol vermelho eram conhecidas de Altevir. Altevir respondia a inquérito por furto.