Mais um incêndio criminoso destruiu uma residência no Cajuru, deixando duas pessoas mortas. Dessa vez, os incendiários atacaram na Rua Mário Miro, na Vila Oficinas, na noite de terça-feira.

Durante o trabalho de rescaldo, os bombeiros encontraram os corpos de duas pessoas. O dono da casa, Nereu Figueiredo de Córdova, 76 anos, teria morrido asfixiado pela fumaça.

A outra vítima é um homem ainda não foi identificado, que estava carbonizado. Na semana passada, três pessoas de uma mesma família morreram carbonizadas dentro de uma casa no Jardim Acrópole. A polícia acredita que os dois casos são isolados.

Segundo apurado pela Delegacia de Homicídios, o incêndio começou pouco antes da meia-noite. Um vizinho disse ter ouvido um barulho de vidro quebrando, seguido da explosão.

Testemunhas também viram uma pessoa lançando um objeto para dentro da casa (possivelmente um “coquetel molotov”, segundo a polícia) e fugindo num Palio branco, com placa de táxi em cima do carro.

Quando chegaram ao local, investigadores encontraram um botijão de gás lacrado na lateral da casa do lado de fora. Vizinhos contaram à equipe do 20.º Batalhão da Polícia Militar que Nereu não se relacionava muito bem com a vizinhança; morava sozinho e às vezes recebia visitas.

Nereu, segundo a perícia, teria morrido asfixiado por inalar a fumaça, próximo à porta da frente da casa. A outra vítima estava debaixo da cama, num quarto. O superintendente Odimar Klein, da Delegacia de Homicídios, acredita que não se trata dos mesmos incendiários.

“A princípio os casos não têm ligação. Estamos tentando localizar testemunhas para chegar ao suspeito. Soubemos que alguns objetos sumiram da casa”, contou.