A Polícia Civil de Rio Negro tem indícios que José Ademir Radol, 48 anos, preso na sexta-feira e encontrado enforcado na cela horas depois, matou Aline Moreira, 18, filha da namorada dele. No inquérito consta o depoimento de duas testemunhas para quem a garota pediu ajuda, por volta das 21h do dia em que desapareceu. A dupla ia pescar em Fazendinha, zona rural do município, e foi convencida por José que tudo estava bem.

Uma hora depois, viram José sozinho, próximo de onde o corpo de Aline foi encontrado nu, três dias depois. A chave do carro da mãe dela, usado por José, estava embaixo do corpo. “No interrogatório, José entrou em outras contradições”, disse o delegado Sérgio Luiz Alves.

Sobre a morte na cela, cerca de três horas depois de ser encarcerado, o delegado acredita em suicídio. “Vamos investigar se alguém o auxiliou ou o instigou a se matar”, disse Alves. Os laudos de José e de Aline, para saber se houve abuso sexual, devem ficar prontos em 30 dias.