Um esquema que beneficiava 14 empresas que teriam as contas de luz pagas por hackers foi desmantelado pela Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC). Dois irmãos suspeitos de clonar páginas de bancos e enganar as vítimas por telefone para roubar os dados foram detidos.

Airton Tratz Neto, 27 anos, e Alexandre Tratz, 25, estariam atuando desde janeiro deste ano, segundo as investigações. No período, a polícia estima que foram desviados cerca de R$ 1 milhão. As vítimas eram empresas de Curitiba e região metropolitana.

De acordo com o delegado Wallace de Oliveira Brito, depois de clonar as páginas dos bancos, os integrantes da associação criminosa ligavam para as vítimas (pessoas jurídicas), fingindo ser funcionários e pedindo para que fizessem atualização do sistema operacional.

“Nesse momento eles tinham acesso aos códigos de segurança e as senhas e, com posse desses dados, faziam o desfalque financeira em favor de empresas, pagando suas contas de energia”, explicou o delegado. As empresas beneficiadas, conforme Wallace, eram de médio porte e não tiveram os nomes divulgados em virtude do sigilo da investigação.

O delegado disse que os hackers recebiam das empresas uma remuneração proporcional ao valor das contas de luz. Somente uma dessas contas, por exemplo, era de R$ 300 mil, pela qual os golpistas teriam recebido R$ 100 mil.

Duas mulheres que teriam participação no esquema ainda estão foragidas. Os irmãos estão presos temporariamente por cinco dias, já prorrogados por mais cinco. “Vamos verificar se há requisitos para a solicitação da prisão preventiva, vai depender da colaboração deles na investigação”, ressaltou o delegado.