A noite de domingo guardou o último capítulo do final de semana sangrento no Jardim Guaraituba, Colombo. Maurício dos Santos Carvalho, 23 anos, conhecido como ?Sei Lá?, foi baleado às 20h30 na Rua Genésio Moreschi, a mesma do módulo da Polícia Militar, e tornou-se a sexta vítima de assassinato no bairro desde a noite de sexta-feira.

Além de levar tiros no peito e na cabeça, de pistola calibre 9 milímetros, Maurício ainda foi esfaqueado. ?Ele levou as facadas, correu e caiu no meio da rua. Ali recebeu os tiros?, falou o superintendente da DP do Alto Maracanã, Job de Freitas. A suposição foi baseada no cenário do crime, já que o fato não foi descrito por nenhuma testemunha.

A vítima era conhecida das polícias Civil e Militar. ?Já o pegamos por cometer pequenos arrombamentos na região?, falou o cabo Moisés, do 17.º Batalhão da PM. O superintendente acrescentou que o jovem tinha prisão preventiva decretada por furto de veículo. Tal histórico policial gerou as primeiras suspeitas sobre o motivo do assassinato. ?Provavelmente houve acerto de contas envolvendo atividade criminosa?, acredita Job. Dentro da cueca do rapaz, a perícia encontrou uma garrafa plástica contendo tíner, solvente também usado como droga.

O policial não descarta a ligação entre a morte de Maurício e outros crimes cometidos no bairro. Entre a noite de sexta-feira e a tarde de domingo, cinco pessoas haviam sido assassinadas em locais diferentes do Jardim Guaraituba. Destes casos, apenas a morte de Pedro Carmo Martins, baleado e morto sexta-feira à noite ao tentar impedir o furto de um veículo, é considerada independente dos demais.