Uma advogada e professora universitária que mora no Jardim Aristocrata, em São José dos Pinhais, teve a casa roubada por jardineiros indicados. A vítima permaneceu pelo menos duas horas amordaçada e com os pés e as mãos amarrados, até ser libertada por guardas municipais.

Os bandidos estiveram na residência da vítima na quarta-feira para trabalhar e, quando foram embora, levaram o controle da garagem. Ontem pela manhã, a dupla voltou e fez a limpa na residência.

A advogada teria contatado dois jardineiros, que não puderam realizar o serviço, e indicaram dois colegas. Na quarta-feira, ela percebeu que eles não estavam trabalhando bem e pediu que voltassem no dia seguinte. Eles foram ligeiros e pegaram o controle remoto.

Ameaças

De acordo com o guarda municipal Strombech, por volta das 8h de ontem, os dois chegaram à residência e deram voz de assalto. Eles usaram fita isolante para amordaçar a mulher, que ficou trancada num quarto com os pés e mãos amarrados. “Eles ainda ameaçaram matar os netos da vítima, caso ela não desse a senha do cartão do banco”, contou o guarda.

Cerca de duas horas depois, a vizinha ouviu ruídos estranhos e chamou a Guarda Municipal. “Quando chegamos, estava tudo trancado. Tivemos que cortar um portão para entrar”, contou Strombech. A advogada foi libertada das amarras e levada ao hospital.

De acordo com o guarda, os bandidos fugiram no Celta da vítima, levando joias e objetos da casa. Depois de passar por uma agência bancária para sacar o dinheiro, eles abandonaram o veículo na Rua Duque de Caxias. O carro foi recuperado e levado à delegacia. Em seguida, eles se encontraram com um terceiro comparsa que os aguardava num Siena prata.

Os dois jardineiros que teriam recomendado os colegas assaltantes foram encaminhados à delegacia. Não se descarta que eles também estejam envolvidos com o crime.