As sete pessoas presas durante a Operação Jogo Rápido, desencadeada na última terça-feira pelo Nurce, estão soltas.

O assessor do plenário da Junta Comercial, João Luiz dos Santos, 41 anos; o assistente da coordenadoria regional de comércio, Marcus Antônio Cury, 45; os sócios do Village Batel, Celso Luiz Lanzoni, 55; Arthur José Nunes Lanzoni, 30; e Luiz Antônio Scarpin, 55; além de Ricardo Fontana Scarpim, 39; e o contador Ericson Macedo Gaio, 36, foram presos temporariamente.

Os funcionários da Junta são suspeitos de, em 2004, receberem suborno para adulterar contratos do Bingo Village e com isso colaborar para a conquista de liminar favorável ao funcionamento da casa de jogo. O delegado do Nurce, Sérgio Sirino, pedia a prorrogação das prisões temporárias quando soube que todos já estavam soltos por força de habeas corpus.