Portando um revólver calibre 38, roubado no dia 24 de setembro, Carlos Roberto dos Santos, 20 anos, foi preso por policiais da Delegacia de Furtos e Roubos por volta do meio-dia de ontem. Ele foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma pelo delegado Hormínio de Paula Lima Neto.

Segundo o delegado, os investigadores Rudi, Geremias, Mário e Carlos estavam em diligência no Uberaba. Quando passaram próximo à Linha do Trabalhador, observaram um rapaz em atitude suspeita, fizeram a abordagem e descobriram a arma roubada. Hormínio apurou que o revólver foi roubado durante um assalto contra a Selectas Indústria de Madeira. Na ocasião, dois homens armados de revólveres invadiram a empresa. Eles renderam o vigilante, da Sentinela Vigilância, arrombaram um armário e levaram a arma, além de pertences de funcionários e outros objetos. “Vamos apurar se o Carlos teve participação neste roubo. Se não teve envolvimento queremos saber quem vendeu a arma para ele”, disse o delegado, que desconfia que o jovem usava a arma para praticar roubos.

No cabelo, Carlos pintou as letras ZL, que de acordo com a polícia seriam as iniciais de um gangue intitulada Zona Leste, que age na região do Solitude. “Estamos apurando o nome dos integrantes desta gangue e se é responsável por crimes de roubou ou furto”, salientou o policial.

Versão

Carlos alegou que comprou a arma para se defender. Ele disse que no sábado foi em uma festa e estava acompanhado de vários amigos. Todos foram ameaçados de morte por integrantes da gangue Centenário. “Por isto comprei a arma. Só para me defender”, argumentou.