Foto: Walter Alves

Irmão de Moacir foi morto em dezembro, ?por engano?.

Menos de um mês após ter um de seus filhos gêmeos executado a tiros, Rosalina Siqueira dos Santos lamenta a morte do outro filho, o auxiliar de serviços gerais Moacir dos Santos Camargo, 22 anos. Ele foi assassinado na Rua Maria Barchiki Chinasso, no Jardim Acrópole, Cajuru, por volta das 10h de ontem. ?Isso não pode ficar sem justiça?, era o que a mãe pedia, desolada, ao lado do corpo do jovem.

Moacir era irmão de Jacir dos Santos Camargo, baleado no último dia 17, em São José dos Pinhais. Embora a polícia ainda não saiba se os matadores são os mesmos, acredita-se que as mortes dos gêmeos estejam relacionadas e que o crime de ontem seja continuação do assassinato anterior. ?As informações que recebemos são que Jacir foi morto por engano. Eles queriam matar o Moacir?, declarou o tenente Maywitz, do 20.º Batalhão da Policia Militar.

Gol

Na manhã de ontem, quando caminhava pela rua, Moacir foi abordado por três indivíduos em um Gol branco, que atiraram e fugiram. A mãe ainda não sabe o motivo do crime. ?O único problema dele era que, quando bebia, ficava agressivo, briguento. Pode ser que tenha sido vingança. Hoje em dia, tudo se resolve na bala?, lamentou a mãe dos gêmeos.

Além dos tiros que acertaram Moacir, um disparo atingiu um adolescente de 15 anos, que teve que ser encaminhado ao Hospital do Trabalhador, onde permanece internado. ?Provavelmente o menino foi vítima de bala perdida, porque ele estava longe?, disse Maywitz.