A violência voltou às ruas da Vila Nossa Senhora da Luz, No início da madrugada de ontem, um jovem de 17 anos foi executado na quadra seis, esquina das ruas Jovany Scorsin e São Timóteo. Aparentemente. A vítima foi alvejada com três disparos que o atingiram na cabeça, segundo as análises preliminares do perito do Instituto de Criminalística. Ao lado do corpo estavam duas latinhas de cerveja e uma sacola plástica.

A vítima foi identificada como Carlos Eduardo do Rosário, desempregado e morador no conjunto Ilha do Sol CIC, de acordo com dados do IML.

Pela posição em que o corpo foi encontrado – com as pernas elevadas em um banco de madeira, cabeça e costas encostadas na calçada, provavelmente o jovem tenha sido alvejado enquanto estava sentado. Policiais militares que atenderam a ocorrência informaram que momentos antes do assassinato observaram a vítima acompanhada de pelo menos mais uma pessoa.

Telefonema

O caso foi registrado na Delegacia de Homicídios e está sob os cuidados do delegado José de Deus. O policial informou que dentro das próximas horas novas informações sobre a morte devem surgir. Na tarde de ontem, um telefonema anônimo foi dado à Delegacia de Homicídios, dando informações cujo teor não foi divulgado e que vão ser verificadas.

A arma utilizada pelo matador é de baixo calibre, “quem sabe um calibre 32”, disse José de Deus. Isto pode explicar a quantidade de tiros na cabeça de Carlos. “Normalmente essa quantidade de tiros é vista numa execução. Mas neste caso, devido ao calibre da arma, o autor pode ter tentado garantir que a vítima realmente morreria”, comentou. Outras hipóteses para os disparos são desentendimento ou vingança. “A raiva também pode levar o autor a atirar por diversas vezes”, explicou o delegado.