Aos prantos e garantindo que irá lutar por sua inocência, Josiane de Portes Barros Luz, ex-mulher de Adel Rutz, prefeito de Rio Branco do Sul, assassinado em março, deixou a cadeia pouco antes das 18h de ontem.

Na saída do Centro de Triagem I, em Curitiba, ela foi amparada pela mãe, o padrasto e a irmã, e seguiu diretamente à casa da mãe, na localidade de Açungui, a pouco mais de 40 quilômetros de Rio Branco do Sul.

Josiane, acusada de ser a mandante do crime, teve habeas corpus concedido pelo juiz Francisco Cardoso Oliveira, da Primeira Câmara do Tribunal de Justiça do Paraná. Seu advogado Elias Matar Assad diz que o juiz entendeu não haver evidências concretas da participação da mulher no crime.

“À polícia, um dos assassinos do prefeito alegou que Josiane mandou matar o ex-marido. Depois, ele voltou atrás e disse que nem a conhecia. Isso torna a prova contra ela muito nebulosa”, explicou o defensor.

Visitante

Esta é a segunda vez que Josiane sai da cadeia. Em 4 de março, três dias depois do crime, ela foi presa, e solta no dia 31 do mesmo mês, por habeas corpus também concedido pelo Tribunal de Justiça. Mas em 10 de abril, foi presa de novo, por solicitação do juízo de Rio Branco do Sul. Na tarde de hoje, Josiane irá conceder entrevista à imprensa.

Adel Rutz foi morto no centro da cidade, quando chegava em casa, à noite. Os acusados do crime são Fábio Faria, Daniel dos Santos e Selmo dos Santos. O trio chegou ao local em duas motos e Fábio deu cinco tiros contra o prefeito. Somente ele foi preso. Daniel e Selmo continuam foragidos.