Uma colisão dividiu o Fusca placa AAP-6305 em duas metades que ficaram separadas por 30 metros, matou uma mulher e deixou hospitalizadas outras seis pessoas, às 17h15 de ontem. O acidente ocorreu em um cruzamento clandestino do Contorno Leste (BR-116), bairro Águas Claras, em Piraquara, e envolveu o Kadett placa AFL-1950. Uma mulher, identificada apenas como Sueli, 35 anos, que seria condutora do Fusca, morreu no local.

O comerciante Raimundo Jonas Ferreira, 51, a mulher dele, Neuzi Aparecida Ferreira, 48, e a mãe dela, Raimunda Garcia de Lima, 66, estavam no Kadett conduzido pelo comerciante. Os três tinha ido visitar a mãe dele, em Piraquara, e voltavam para São José dos Pinhais, onde Raimundo tem uma revenda de automóveis. O Fusca iria atravessar a rodovia em um cruzamento improvisado, que dá acesso ao Jardim Holandês, em Piraquara. Dentro dele, além de Sueli, estavam Marcelo Polachini, Edenilson Mathias e Solângela Schmoller Foss Fiorentini.

Arremessados

Não se sabe como ocorreu o acidente, mas em princípio o Fusca foi atingido pelo Kadett ao atravessar a primeira pista da rodovia. O impacto dividiu o Fuscta ao meio, deixando a parte traseira no cruzamento e arremessando a frente do veículo para o canteiro central, a cerca de 30 metros. Os passageiros ficaram pelo caminho, junto com pertences das vítimas e bancos do veículo. Até o extintor de incêndio foi totalmente amassado. A marca da frenagem do Kadett pode ser percebida por aproximadamente 50 metros.

O Siate foi acionado e recolheu as vítimas caídas no asfalto e de dentro do Kadett. Elas foram levadas aos hospitais Cajuru e Evangélico, em estado grave. O acidente foi atendido pelos policiais rodoviários federais Luiz Carlos e Bernardino.

O contorno utilizado pelo Fusca é irregular, mas é a única ligação entre os bairros daquela região. Por ele passa também ônibus de linha, segundo moradores, que prometeram um protesto para o próximo sábado, para exigir das autoridades mais segurança no trânsito da região.