Foto: Walter Alves

Carlos preferiu se arriscar na água a voltar para a cadeia.

Ao tentar escapar da prisão em flagrante, o foragido Carlos Marcelo Santos da Rosa, 27 anos, atirou-se em um rio, com as mãos algemadas, e morreu afogado, na manhã de ontem, em Fazenda Rio Grande.

Ele tinha acabado de furtar fios de cobre de uma madeireira, juntamente com dois comparsas. Os colegas -Leandro Luís Rodrigues, 21, e um adolescente – foram encaminhados à delegacia de Mandirituba, onde aconteceu o furto.

Os guardas foram chamados por volta das 9h, após denúncia de que alguns indivíduos estariam praticando o crime na empresa. ?Eles fugiram de bicicleta em direção à Fazenda Rio Grande e os localizamos na BR-116, na ponte sobre o Rio Maurício, bem no limite entre os municípios?, relatou o guarda De Souza. Na abordagem, foram encontradas mochilas com aproximadamente 100 quilos de fios, além de instrumentos usados no furto, como alicate, chave de fenda e duas facas.

Desespero

Os três foram devidamente algemados e conduzidos à viatura. ?Porém, Carlos se aproveitou que éramos somente dois guardas para se desvencilhar. Chutou o porta-malas e saiu correndo em direção ao rio?, contou De Souza. De acordo com o guarda, logo que caiu na água, Carlos foi arrastado pela correnteza e teve dificuldades para respirar. ?Ele colocou duas vezes a cabeça para fora da água, depois afundou e não voltou mais. Em menos de dois minutos se afogou?, disse o guarda.

Os bombeiros foram chamados e retiraram o corpo do rio, por volta das 10h30. No local onde Carlos foi encontrado, o rio atingia três metros de profundidade.

Foi apurado que Carlos já tinha passagem pela polícia e estava com mandado de prisão em aberto, por ser foragido do Rio Grande do Sul. Leandro e o adolescente foram levados à delegacia, juntamente com as bicicletas e os objetos apreendidos. Os três seriam moradores do bairro Gralha Azul, em Fazenda Rio Grande.