policia121204.jpg

Casal asfaqueado vivia de favor
em casebre na Fazenda dos Castro.

Para roubar algumas cabeças de galinha, três bandidos cometeram um bárbaro crime na zona rural de Rio Branco do Sul, sexta-feira à noite. Durante o assalto, os criminosos invadiram o casebre de um casal que vivia na Fazenda dos Castro, Estrada do Lixão, localidade de Votuverava, a 25 quilômetros da sede do município, e matou a facadas a lavradora Odete Manikoski, 59 anos. Depois, esfaquearam o marido dela, Arnoldo Lourenço Faria, 63, que sangrou até as 11h de sábado, quando foi socorrido e hospitalizado.

O crime ocorreu às 20h30 de sexta, instantes depois de os três autores chamarem Arnoldo pelo nome, no portão da casa. A vítima, que segundo a vizinhança morava de favor na fazenda, recusou-se a abrir a porta. Insistente, um dos assaltantes pulou a janela e acertou duas facadas no peito e uma nas costas de Odete. O marido dela também foi atingido pelos golpes, uma vez no braço e outra no peito.

Arnoldo apanhou um banco e acertou a cabeça do ladrão, que fugiu pelo mesmo lugar. Sem forças, o dono da casa não conseguiu sair para buscar socorro e, dramaticamente, viu a mulher sangrar até morrer no chão gelado da cozinha.

Só na manhã de sábado vizinhos se depararam com a cena terrível e chamaram a polícia. Embora bastante debilitado, Arnoldo ainda estava consciente e balbuciou algumas palavras enquanto era levado ao hospital. "Ele disse que conhecia os assassinos, mas não soube dizer os nomes", relatou o investigador Pires, da DP local.

O motivo da barbárie era torpe e banal. Os bandidos não levaram nada, exceto algumas galinhas criadas pelo casal. O número de animais roubado era incerto, mas devia ser grande, já que quatro ou cinco aves mortas pelos bandidos ficaram espalhadas pelo chão e viraram comida de cachorro. "Eles mataram os bichos antes de roubá-los. Ou não conseguiram carregar todos ou tiveram que sair correndo", afirmou o investigador.

Os donos da fazenda, dedicada à criação de gado, não foram encontrados pela polícia, que tenta identificar e localizar os assassinos. "Ao que tudo indica, são moradores da região", disse o policial.