A comemoração descarada pelo roubo a uma joalheria levou a população a entregar uma quadrilha, na madrugada de ontem. Três suspeitos de envolvimento no assalto à loja Big Ben, no centro de Curitiba, em 17 de janeiro, foram presos e encaminhados ao Centro de Operações Policiais Especiais (Cope). Há pouco mais de dez dias, dois integrantes do bando já haviam sido detidos. Dois ainda são procurados.

Um dos detidos é Rodrigo da Silva, 24 anos. Ele ostentava no pulso um dos 111 relógios roubados, e passou o fim de semana ao lado de amigos que também usavam joias de alto valor. Populares perceberam uma festa na casa dele, na Rua Gerônimo Busato Filho, Vila Tarumã, em Pinhais, e avisaram a polícia pelo telefone 181.

A casa passou a ser monitorada. Por volta das 3h de ontem, uma equipe do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) prendeu Rodrigo, ainda usando o relógio. Ele afirmou que ganhou o produto de dois amigos que teriam efetuado o roubo. Um deles é Willian Júnior Gomes, o “Tampa”, 24 anos, que foi preso horas depois, na Vila Torres, em Curitiba, com outro relógio roubado. Também foi detido Leonardo Pareira Miranda Rosa, o “Grau”, 21, com um revólver calibre 38, em sua residência, em Pinhais.

Reconhecidos

De acordo com a delegada Vanessa Alice, do Cope, Willian e Leonardo foram reconhecidos como autores do roubo. Rodrigo, que não foi reconhecido, foi autuado por receptação e liberado após pagamento de fiança. O Cope havia prendido, por receptação, Douglas Henrique Borges dos Santos, o “Traquinas”, 18, e Jeferson Eloi da Silva. Ainda são procurados o líder da quadrilha, identificado como Diego Eloi da Silva (irmão de Jeferson) e outro indivíduo que provavelmente é adolescente. Quem tiver informações sobre os procurados deve ajudar a polícia pelos telefones 181 e 3284-6562.