O laudo conclusivo sobre a morte do soldador Leandro Fieldler da Luz, 20 anos, emitido pelo Instituto Médico-Legal (IML), indicou que o corpo não apresentava sinais de perfuração por arma de fogo, conforme suspeitas levantadas por familiares da vítima. O jovem morreu em conseqüência do acidente sofrido na Rua Alfredo Charvet, Porto Laranjeiras, em Araucária, às 3h10 de sábado. Na ocasião, ele capotou o Vectra que conduzia e colidiu contra um poste de iluminação.

Na delegacia de Araucária, foi aberto inquérito para apurar as circunstâncias da morte de Leandro. Familiares alegaram que a médica do Hospital Nis III, para onde a vítima foi levada por policiais militares após a colisão, constatou em seus exames que Leandro apresentava ferimentos por arma de fogo. O delegado Jairo Estorílio, que cuida do caso, confirmou que o médico do IML (dr. Marlus) após o exame de necropsia não constatou nenhuma perfuração no cadáver resultante de tiros. O policial também já ouviu uma testemunha que disse que Leandro dirigia de maneira perigosa pelas ruas de Araucária, naquela madrugada.

Investigação

Para evitar futuras especulações, a delegacia de Araucária está investigando o caso a fundo e o delegado já solicitou uma nova perícia no carro da vítima ao Instituto de Criminalística para tentar localizar algum projétil ou perfuração na lataria do Vectra. Jairo informou que ouviu os dois PMs que atenderam a ocorrência. “Eles não chegaram a perseguir o Vectra. Tiveram apenas contato visual por pouco tempo”, relatou o delegado. Mesmo assim, o comando da PM solicitou aos soldados que entregassem suas armas para que fossem periciadas. “Ao que tudo indica, a morte de Leandro foi uma fatalidade e ocorreu em conseqüência do acidente”, afirmou Jairo. Familiares da vítima devem ser ouvidos hoje, pela polícia.