O Parolin, que foi palco de uma grande ação policial no mês de maio, que tinha o objetivo de conter os altos índices de criminalidade da região, deu lugar a mais dois homicídios, em uma só noite, na passagem de sexta para sábado.

O primeiro crime foi na noite de sexta, por volta das 20h, na Rua Augusto de Mari, que vitimou o jovem Elton de Agostinho, de aproximadamente 20 anos. Ele foi executado com três tiros na barriga e outro na nuca, e morreu na hora.

Já na madrugada de sábado, por volta da 1h30, uma moça identificada apenas por Fabíola Onesko, de aproximadamente 23 anos, foi assassinada na Rua Rubens Elke Braga com disparos de arma de fogo. No local, ninguém viu o crime ou o autor. Apenas souberam dizer o nome da vítima, que segundo informações, morava próximo de onde foi morta. Fabíola vestia botas pretas, calça azul, jaqueta preta e blusa de lã amarela e rosa.

Mais um

Na madrugada de quinta-feira, uma outra jovem de 18 anos foi assassinada no Parolin. Priscila Eva Mendes, moradora do bairro, foi morta por estrangulamento. Ela foi encontrada em um terreno baldio na Rua João Parolin, há uns 15 metros da rua. Sua tia, Rosana de Fátima Mendes, 33, relatou aos policiais da DH que a sobrinha passava as noites fora de casa e que era usuária de "crack", costumando ir até esse terreno para consumir a droga.

Na tarde de sábado, policiais da Delegacia de Homicídios informaram que já tem pistas do assassino das jovens Fabíola e Priscila, que seria o mesmo.