Apresentou-se na tarde de ontem, na Delegacia de Homicídios, Leodair Antério Joaquim, 43 anos, o “Mancha”. Ele é suspeito de ter participado da confusão que resultou na morte do auxiliar de serviços gerais João Maria Batista, 23 anos, em frente ao Bailão do Mancha, na madrugada de domingo, no Xapinhal, Sítio Cercado.

“Mancha” negou participação no crime e disse que o “quebra-quebra” que aconteceu no bailão envolveu os seguranças da casa. No interrogatório, o homem afirmou que a vítima havia criado uma confusão dentro do estabelecimento e foi retirado. Depois, João Maria teria voltado ao bailão armado e então aconteceu a confusão. De acordo com o superintendente Neimir Cristovão, as testemunhas ouvidas até o momento relatam outra versão para a história e incriminam “Mancha”. O policial revelou que o próximo passo na investigação é ouvir os seguranças do bailão.