Adriano era suspeito de
cobrar ?pedágio? de comerciantes.

Apesar de não contar com antecedentes criminais, o mecânico Adriano Gonçalves de Oliveira, 24 anos, o “Duinho”, foi executado com três tiros na cabeça, às 20h de sábado, na Rua Ney Pacheco quase esquina com a Rua Jornalista Rubens Ávila, Vila Verde, Cidade Industrial. A vítima caminhava pela rua quando foi surpreendida por desconhecidos. Um veículo de cor escura, com três ocupantes, se aproximou de Adriano e um deles, encapuzado, sacou de uma arma e efetuou os tiros. Em seguida, o carro desapareceu.

Conforme comentários na região, “Duinho” era apontado como um dos homens que cobrava pedágio dos comerciantes para que assaltos não ocorressem nos estabelecimentos. Essa prática pode ser uma das hipóteses para o assassinato. De acordo com o policial militar J. Carlos, integrantes do serviço comunitário do bairro informaram que tinham reclamações contra “Duinho” por parte de comerciantes, porque ele cobrava pedágio e fazia ameaças caso isso fosse divulgado. “Mesmo com essas informações, não há nada de concreto contra o rapaz, que aparentemente não conta com antecedentes criminais, explicou.

Alguns amigos da vítima contestaram a informação de que Adriano cobrava pedágio de comerciantes. “Isso não existe. Ele era uma boa pessoa”, disseram.