Sebastião foi executado
na cama, com quatro balaços.

Policiais de São José dos Pinhais continuam a investigar a misteriosa morte do mecânico Sebastião Alves de Souza, 48 anos. Três homens encapuzados o assassinaram em sua cama, com quatro tiros na cabeça, às 22h10 de quinta-feira, no Jardim Itatiaia, São José dos Pinhais. No dia 1.º do ano, Sebastião já havia sido baleado em ação semelhante, mas o caso nunca foi resolvido, porque a própria vítima atrapalhou as investigações.

Na quinta-feira, quatro homens usando capuzes e luvas invadiram a residência do mecânico, na esquina das ruas Miguel Grace e Atevides Miranda. Enquanto um deles impedia que a esposa de Sebastião levantasse do sofá da sala, onde assistia TV, os outros três foram para o quarto dele. Eles mandaram a mulher ficar quieta e disseram se tratar de um acerto de contas. O homem estava deitado e coberto, quando recebeu quatro tiros na testa. Ao som do primeiro disparo a esposa de Sebastião desmaiou no sofá.

Mistério

De acordo com levantamentos da perita Jussara Joeckel, da Polícia Científica, é provável que Sebastião estivesse dormindo quando foi morto. “Dois dos disparos foram efetuados com a arma praticamente encostada na cabeça da vítima”, avaliou a perita. Próximo à cama foram encontradas cápsulas de pistola calibre 380.

O motivo do assassinato é um mistério para a polícia e para a família da vítima. O sargento Bernardes e o soldado Dudcoschi, do 17.º Batalhão de Polícia Militar, atenderam a ocorrência. “Ele nunca falou para a mulher o porquê de ter sido baleado no dia 1.º do ano. Ela está em estado de choque”, comentou o sargento. Naquela data, durante as comemorações da passagem de ano, um homem invadiu a garagem da casa e acertou um tiro na boca de Sebastião. “A partir daí, ele deixou de freqüentar bares, mas nunca esclareceu o atentado”, relatou o sargento, acrescentando que Sebastião desestimulava as testemunhas a comparecer à delegacia.