A presidente da Associação dos Médicos Legistas do Paraná, Maria Letícia Fagundes, presidente da Associação dos Médicos Legistas do Paraná, divulgou nota ontem, reclamando que o projeto do governo que reforça o quadro de pessoal da Polícia Civil não contempla o Instituto Médico Legal e a Polícia Científica.

A representante da entidade esperava que o projeto, que prevê a contratação de delegados, investigadores, escrivães e papiloscopistas , também mexesse no quadro de pessoal no IML, que tem um déficit de 220 médicos legistas. “Por enquanto, para a nossa categoria, o programa Paraná Seguro só está na promessa”, afirmou Maria Letícia.

Inauguração

Ontem, a sede do IML em Paranavaí foi equipada e começou a funcionar. A Secretaria da Segurança Pública informou que outras sedes devem ser inauguradas nos próximos dias, com a entrega de camburões para recolhimento de corpos.