megaoperacao110305.jpg

Policiais civis e militares
participaram da operação.

Uma megaoperação policial em Foz do Iguaçu envolvendo mais de mil policiais civis e militares iniciou uma varredura na cidade às 5h de ontem. Batizada como Foz Segura, o trabalho continuará por tempo indeterminado. Apenas na primeira manhã, 36 pessoas foram detidas. As prisões foram registradas por porte ilegal de armas, tráfico de drogas e assaltos.

O governador Roberto Requião e o secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari, estiveram ontem na cidade para o lançamento oficial da operação. O governador afirmou que o principal foco de atuação é o tráfico de drogas. Foz é a principal rota de entrada de entorpecentes no Paraná, o que vem aumentando o índice de criminalidade na cidade. ?Apenas nos primeiros 58 dias de 2005 tivemos 58 homicídios?, afirma Burkle. ?Como Foz é uma cidade turística, essa ação é fundamental.? Os policiais devem também realizar operações em Ponta Grossa.

Ontem, foram cumpridos cerca de 80 mandados de prisão e de busca e apreensão. Cinco armas foram apreendidas, além de 75 cartuchos de munições. Também foram encontradas doze placas de circuito interno e 122 placas de revestimento acrílico para máquinas caça-níquel, provavelmente adquiridas no Paraguai e que seriam montadas no Paraná. Segundo o promotor de investigação criminal de Foz, Rudi Rigo Burkle, as investigações e levantamentos para os mandados já estavam sendo realizados na cidade desde o início do ano.

No centro da cidade, os policiais fizeram blitze e batidas em estabelecimentos comerciais. ?Pedimos que ninguém se sinta ofendido ao ser revistado. Só assim conseguimos prevenir crimes, ao pegarmos armas nas mãos de pessoas erradas, além de drogas e objetos furtados?, declara o comandante do Policiamento do Interior, coronel Nemésio Xavier.

Outras medidas

Durante a solenidade de lançamento da megaoperação, o governador informou que está em fase de planejamento a instalação de uma escola técnica na área de um antigo cassino na cidade. Requião determinou ainda estudo para redução de impostos para a produção de bens em Foz.

Encontro no Paraguai

Autoridades brasileiras e paraguaias se reúnem hoje, em Ciudad del Este, para tentar evitar que manifestantes voltem a fechar a Ponte Internacional da Amizade, como ocorreu na última quarta-feira, pelo período de 20 minutos.

A situação na fronteira entre os dois países ficou tensa depois que a Receita Federal intensificou a fiscalização para combater o contrabando na região, através da Operação Cataratas II.

O encontro bilateral faz parte da Agenda 19, firmado entre Brasil e Paraguai, no final do ano passado. A reunião discutirá questões de tráfego aduaneiro, aumento da cota de compras de brasileiros no Paraguai – de US$ 150 para US$ 500 – e uma mudança na maneira de fiscalização da Receita Federal. (DD)