A filha de 5 anos de Valdirene Bueno confirmou ontem à polícia que a mãe jogou álcool em seu corpo e depois ateou fogo, quando brincava com a irmã, na casa onde moravam, no Jardim São Marcos, zona sul de Londrina, norte do Estado, no início do mês.

O crime foi denunciado à polícia pelos conselheiros tutelares da cidade. De acordo com investigadores da Delegacia da Mulher, a delegada Elaine Aparecida Ribeiro voltou a ouvir a criança no Hospital Universitário na tarde de ontem. A mãe continua foragida.

A criança relatou que a mãe cometeu o crime, mesmo sem se recordar dos detalhes de como ocorreu. A delegada credita o relato esparso à pouca idade da menina. Porém, quando fala de ter sido queimada pela mãe, ela é incisiva no depoimento e diz que a mãe colocou mesmo fogo nela.

Ela estava com a irmã de 3 anos e já nem se recorda de que brincava de esconde-esconde, como contou às conselheiras, um dia após o crime ter ocorrido. A criança recebeu alta do hospital mas prossegue na unidade até que tenha um local para morar.

Segundo Édina Maria de Paula, promotora da Vara da Infância e Juventude de Londrina, até o início da semana deve ser encontrada uma casa para abrigar a criança.

Valdirene foi indiciada por tentativa de homicídio e pode pegar de seis a 20 anos de prisão. Ela teve a prisão temporária decretada pela 1.ª Vara Criminal de Londrina.