A comprovação da troca do conjunto do ferrolho de uma arma absolveu um policial militar de tentativa de homicídio, segunda-feira, no Tribunal do Júri, em Curitiba.

O Ministério Público determinou que a Polícia Civil investigue um soldado, um cabo e um sargento do 12.º BPM. O soldado Sílvio Cesar Cavenaghi, em 24 de agosto de 2002, foi agredido por um homem durante atendimento de ocorrência. Dias depois, o quarto dessa pessoa foi atingido por vários tiros. O advogado dele procurou a PM, acreditando que Sílvio e o colega que atenderam a ocorrência que resultou na agressão tivessem cometido o crime por vingança.

Sílvio entregou a arma no batalhão. De acordo com o advogado Eduardo Miléo a equipe de plantão, que recebeu a arma, era a verdadeira responsável pelo ataque. Com medo de represálias, eles trocaram o conjunto do ferrolho da arma deles com a de Sílvio.

Exame de balística na arma, com as peças já trocadas, indicou que a arma de Sílvio teria sido a origem dos disparos. A comprovação da troca das peças, depois de longo debate, foi o que o absolveu.