Familiares do cabo da Polícia Militar, Carlos Roberto dos Santos, 45 anos, encontrado morto na quarta-feira, em Colombo, devem comparecer na segunda-feira na delegacia do Alto Maracanã para prestar depoimento. A partir de então a polícia deverá traçar a linha de investigação.

Enquanto isso, os policiais tentam descobrir quem é o proprietário do Palio verde encontrado com manchas de sangue próximo ao corpo do policial, que estava num riacho. Carlos teria sido morto com golpes do extintor de incêndio do veículo, encontrado sujo de sangue.

O superintendente Fioravante Perruchon, do Alto Maracanã, acredita que o Palio é uma “piseira”, veículo adquirido com documentos falsos ou com parcelas atrasadas. “Sabemos que o policial morava no Bacacheri e que o carro não era dele”, disse Fioravante.