Um antigo estabelecimento comercial da Vila Guaíra, hoje transformado em mocó, foi o lugar do assassinato de Alan Cleberson Pereira Gomes, 18 anos, na madrugada de ontem. As ruínas, na esquina das ruas Sergipe e Assis Figueiredo, são freqüentadas diariamente por usuários de drogas e, apesar das reclamações dos vizinhos, está abandonada há aproximadamente cinco anos.

O soldado Mattoso, do 13.º Batalhão da Polícia Militar, afirmou que Alan era um desses usuários e acredita que ele foi executado em função de alguma dívida.

?A mãe do rapaz contou que ele consumia drogas desde os dez anos e que, ultimamente, estava viciado em crack?, relatou Mattoso.

Tiros

Por volta das 5h de ontem, quando moradores ouviram disparos, o vício e a vida de Alan chegaram ao fim. O perito Silvestre, do Instituto de Criminalística, constatou que o jovem foi morto com um tiro no rosto, e que também foi atingido por outro nas costas, que pegou de raspão. A arma do crime, segundo investigadores da Delegacia de Homicídios, tem calibre 38.

Aglomerados em volta da ?lojinha?, como é conhecido o que sobrou da construção, vizinhos e outros moradores reclamavam do lugar, abandonado há anos. ?Transformaram isso em motel e ponto de consumo de drogas. Lá dentro, eles quebram tudo e ficam batendo nas paredes?, denunciou o músico Renato Schimith, 34, morador do bairro. ?Já morreram uns três aí dentro e não fazem nada?, reclamou outra moradora, que não quis se identificar.