Um homem morreu em confronto com a Polícia Militar na Vila Xapinhal quando tentava levar um idoso como refém, no início da manhã de domingo (09). Na residência dele foram apreendidos um maçarico, munições de fuzil e documentos que podem ser falsificados.

Moradores da Rua Billy Garmater ligaram para o telefone 190 pouco antes das 6h avisando que ouviram vários tiros. Quando a PM chegou ao local, eles apontaram a direção para onde correu o suposto atirador.

A equipe fez buscas na região e descobriu que o homem estava dentro de uma casa, na Rua Francisco José Lobo. Um senhor com mais de 60 anos, dono da residência, ao ver o invasor decidiu trancar a família dentro de casa e partir para cima do suspeito.

Quando a PM entrou no quintal da casa, o homem sacava um revólver Magnum calibre 357. Sem saber se ele atiraria no idoso ou o levaria como refém, os policiais atiraram contra o suspeito, que foi socorrido mas morreu minutos depois no Hospital do Trabalhador. Ele tinha aproximadamente 25 anos e não portava documentos.

Os policiais fizeram uma varredura nas proximidades do local do crime, e descobriram que o suspeito abandonou no telhado de uma residência, durante a fuga, uma espingarda calibre 12 com munições deflagradas.

Já no hospital, médicos de plantão encontraram nos bolsos dele mais munições deste calibre. Em uma residência que seria do suspeito foram apreendidas munições de fuzil calibre 762, um maçarico e um crachá de uma empresa de vigilância em nome de Diogo Lima Del Barco.

O tenente Eleutério, do 13º Batalhão, acredita que este e outros documentos encontrados na casa podem ser falsificados. Não foi possível confirmar se este é o nome do suspeito.

O material apreendido foi encaminhado ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (CIAC-Sul). Os policiais não descobriram porque o homem estava atirando na rua.