Vinte cinco mil reais foi o valor combinado para a morte do prefeito de Rio Branco do Sul, Adel Rutz (PP), 36 anos, e a mandante do crime foi a ex-mulher da vítima, Josiane Portes de Barros, 31.

A informação, divulgada no twitter do governador Roberto Requião, foi confirmada ontem pela polícia. Josiane foi presa no início da noite de quarta-feira, em sua residência, por força de mandado de prisão. Também foi detido Fábio Faria, que confessou ter disparado os dois primeiros tiros contra o prefeito com um revólver.

A polícia acredita ter solucionado o caso e procura agora por Selmo dos Santos, 25, que dirigia uma das motos usadas no crime, e Daniel Geremias dos Santos, 27, que também atirou no prefeito usando uma pistola. Josiane negou que tenha qualquer participação na morte do ex-marido.

De acordo com o secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari, as investigações apuraram que a negociação entre Josiane e os pistoleiros iniciou há cerca de 20 dias.

“O motivo do crime está diretamente ligado à separação do casal. A vida conjugal deles estava desgastada e há informações que houve desentendimento na partilha de bens”, declarou Delazari.

De acordo com a polícia, Josiane teria recebido R$ 500 mil após o divórcio, mas achava que deveria receber mais. Entre os moradores de Rio Branco do Sul, os comentários são que ambos mantiveram relações extraconjugais, que teriam motivado a separação há aproximadamente um mês.

Pistas

O primeiro a ser preso foi Fábio, na noite seguinte ao assassinato, após informações apuradas quando uma das motocicletas usadas no crime foi apreendida.

“Descobrimos que a moto havia sido roubada em novembro, em Itaperuçu, e tinha uma placa dublê fornecida por um despachante da região. A partir daí, chegamos até o suspeito”, informou o delegado Hamilton da Paz, da Delegacia de Homicídios, que ajudou nas investigações.

Ao ser preso, Fábio alegou que apenas alugou a moto para dois indivíduos que matariam o prefeito a mando da ex-mulher. “Porém, depois ele confessou que atirou duas vezes na vítima, com um revólver calibre 38. Na garupa dele estava o Daniel e, na outra moto, que dava cobertura, estava o Selmo”, disse o delegado. Além do homicídio, Fábio irá responder por receptação de veículo roubado e adulteração de chassi.

Ainda em seu depoimento, Fábio confirmou que o trio receberia R$ 25 mil para executar o prefeito a mando de Josiane, e que foram pagos R$ 15 mil. Fábio foi encaminhado ao Centro de Triagem II, em Piraquara, e Josiane ao Centro de Triagem I, em Curitiba. A polícia ainda procura por Selmo e Daniel.

Crime

O prefeito foi morto com cinco tiros, em frente a sua residência, no centro de Rio Branco do Sul, por volta das 20h de segunda-feira. Os suspeitos fugiram e foram perseguidos por uma testemunha.

Os acusados teriam caído da moto, próximo à saída para Cerro Azul, e fugido a pé.  A motocicleta foi apreendida e encaminhada para perícia do Instituto de Criminalística.

Policiais civis da delegacia de Rio Branco do Sul, da Delegacia de Homicídios e do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) continuam as investigações e seguem nas buscas para prisão dos outros envolvidos. A polícia também não descartou a participação de outras pessoas no crime, entre elas a de um irmão de Josiane.

Reprodução
Daniel e Selmo estão foragidos.