t91140205.jpg

Daniel foi surpreendido pelos bandidos: ele teve um triste fim com várias facadas.

Tiros disparados contra a residência, na madrugada de sexta-feira, foram um aviso de que a morte se aproximava para Daniel Campos Ferreira, 52 anos. Logo depois da confusão, dois homens invadiram a moradia, situada na Rua Itambé, Jardim Demeterco, em Pinhais e o mataram. Daniel – que morava sozinho – foi executado a golpes de faca e ficou caído no chão de seu quarto.

De acordo com os investigadores Valdemir e Fernando, a vítima foi vista por vizinhos conversando com outros homens na noite de sexta-feira. Os homens foram embora, porém à 1h40 Daniel foi acordado com gritos que vinham do portão de sua casa. "Quer comprar um som"?, teriam perguntado os homens. Em seguida, quatro tiros foram efetuados contra a residência atingindo a parede e vidros.

Facadas

Os matadores pularam o muro e invadiram a moradia. Daniel foi surpreendido pelos algozes em seu quarto, local onde foi assassinado com várias facadas. "Ele foi atingido por diversos golpes no peito, braços, pernas e rosto", explicou Valdemir. "Provavelmente, os matadores ficaram sem munição", comentou Fernando. Conforme a vizinhança, antes de cometer o crime, os assassinos gritavam: "Cala a boca, senão vou cortar o teu pescoço".

Ao lado do corpo foi encontrado o cabo de uma faca, indicando que a lâmina pode ter ficado cravada no corpo da vítima. Pelos levantamentos dos policiais, os assassinos entraram e saíram pelo mesmo local: a janela frontal, que ficou manchada de sangue. A porta de entrada da residência estava trancada e assim permaneceu até a chegada das polícias civil e militar.

Aparentemente, nada foi levado da moradia e a principal hipótese para o homicídio é um acerto de contas. De acordo com os investigadores, Daniel já esteve preso na delegacia de Pinhais há algum tempo e atualmente trabalhava no conserto de aparelhos eletrônicos. Os pequenos cômodos da casa estavam entulhados de televisores e aparelhos de som, material que provavelmente aguardava reparos.