Cadáver foi jogado de
ponta-cabeça no esgoto, na CIC.

Um cadáver perfurado por mais de 30 facadas, parcialmente submerso na água e enrolado numa colcha. Cena tétrica presenciada logo no início da manhã por moradores da Rua Rui Fonseca Itiberê da Cunha, Cidade Industrial. A vítima era o desempregado José Rafael de Paiva, 21 anos, morador da região, e os assassinos não foram descobertos.

O corpo, encontrado às 7h30, foi atirado no esgoto a céu aberto que corre por aquela rua. José Rafael caiu de ponta-cabeça e ficou com o tronco embaixo d?água. Um fio semelhante aos usados em televisão a cabo fora enrolado ao redor de seu pescoço e a faca, provavelmente utilizada pelos assassinos, estava dentro do córrego. A Polícia Científica a recolheu.

Amigos

Um tio da vítima, ouvido pela Delegacia de Homicídios no local do assassinato, contou que morava com José Rafael até dois meses atrás. Depois o rapaz mudou-se para a casa de alguns amigos, perto do local do crime. O desempregado vez ou outra visitava a mãe em Camboriú (SC) – ele pretendia retornar para lá ainda hoje.

A DH apurou que membros de uma igreja evangélica do bairro teriam visto José Rafael ser espancado por um grupo de pessoas, perto das 22h do domingo. A identificação destas testemunhas será fundamental para a elucidação do crime.