Dez meses após o assassinato do irmão, o foragido da Justiça Paulo César Camargo, 25 anos, teve o mesmo fim. Ele foi encontrado morto, com tiros na cabeça e no braço, na manhã de ontem, numa valeta em frente a um bosque na Rua Pedro Prosdócimo, Moradias Santa Rita, no Tatuquara. No mesmo bairro, seu irmão Alenilton José Camargo de Souza, 16, foi executado, em setembro do ano passado.

Moradores disseram ter ouvido barulho de tiros entre as 22h e 23h de sábado, mas o corpo só foi encontrado por volta das 8h de ontem, na valeta de pouco mais de 1,50 metro de profundidade, por uma pessoa que passava pela rua e acionou a Polícia Militar.

Os policiais apuraram o nome da vítima com a irmã de Paulo, que levou os documentos do rapaz. Ao conferir a identificação no sistema, descobriram que ele era foragido da Justiça. “A irmã nos disse que ele tinha sido preso por roubo”, informou a tenente Baldan.

Ferimentos

A delegada Maritza Haisi, titular da Delegacia de Homicídios, esteve no local com sua equipe de investigadores para apurar pistas sobre a autoria do crime. “A vítima residia na região com a família e teve um irmão assassinado no ano passado. Em princípio, ele seria usuário de droga”, disse a delegada.

Depois que o corpo foi retirado da valeta, o perito Edimar Cunico constatou ferimentos à bala no braço e na cabeça da vítima. Nas costas, havia sinais de arrastamento, indicando que ele foi jogado na valeta já morto.

Irmão

A vida de Paulo teve o mesmo desfecho que a do irmão. Assim como aconteceu ontem, Alenilton também foi executado à noite e teve o corpo encontrado no meio de uma horta, por populares, na manhã seguinte. A mãe de Alenilton, que é catadora de papel, disse que ele pretendia se internar para se tratar do vício pelo crack.