Uma usuária de crack invadiu uma igreja, no Guabirotuba, para furtar objetos e trocar por droga, na manhã desta quarta-feira. O sacrilégio foi cometido por Débora Cristina Montenegro, 33 anos, moradora da Vila Savana, que foi flagrada por policiais militares do 20º Batalhão transportando o material numa bicicleta. Dois aparelhos de DVD, um home theater, brinquedos e até as chaves da igreja foram recuperados.

O cabo Maciel contou que, por volta das 8h10, Débora pulou o muro e entrou pela janela dos fundos da Paróquia Menino de Deus. Ela pegou um molho de chaves que viu em cima da mesa e começou a recolher o que via pela frente. Quando estava na esquina da igreja, na Rua Sebastião Rodrigues dos Santos, Débora foi flagrada pela equipe da PM que fazia patrulhamento na região.

“Nós nem sabíamos que ela havia arrombado a igreja. Como estava em atitude suspeita, desconfiamos e paramos para revistá-la. A mulher acabou confessando que havia furtado a igreja para trocar por droga, mas disse que a bicicleta era dela”, relatou o cabo. “Ela disse ter 33 anos, mas está acabada por causa do crack e parece ter 60 anos. Acredito que ela voltaria à noite, já que pegou as chaves da igreja”, comentou o policial.

Débora, que tem cinco filhos para criar e já conta passagem por furto, foi encaminhada ao Centro de Atendimento Integrado ao Cidadão (Ciac-Sul), no Portão, para ser autuado pelo mesmo crime.

O padre João Inácio Rodrigues foi até a delegacia para reaver os objetos. “Eu não estava no local e recebi um telefone de um dos paroquianos informando o ocorrido. Isso aconteceu porque a renda no País não é bem distribuída. As pessoas pobres sofrem muito”, lamenta o padre. Segundo ele, esta não foi a primeira vez que a igreja foi alvo de ladrões, porém, ele não se lembra quando ocorreu o último caso.