Procurada pela polícia de Brasília por mandar matar uma mulher há quase dez anos, Francisca Ivone Cruz Ferreira, 43 anos, foi presa ontem (04), em um loteamento entre Curitiba e Campo Largo. Ela trabalhava como diarista e mudava de endereço frequentemente para despistar a polícia.

Francisca só foi detida depois que uma policial civil disfarçada marcou encontro com ela. Sem saber que se tratava de uma investigadora, Francisca a recebeu na casa onde morava há apenas três semanas.

O inquérito, feito pela polícia do Distrito Federal, aponta que, em 2004, Francisca contratou um assassino. A vítima, identificada pela polícia apenas como Solange, foi morta na frente do marido e da nora. “O pivô do crime foi o genro da vítima. Em uma das vezes que se separou da filha dela, se envolveu com Francisca. A briga começou quando o homem voltou para a esposa”, descreveu a delegada Aline Maia Rebouças, da Coordenação de Homicídios do DF. Solange tomou as dores da filha. “Ela e a Francisca se ameaçavam e os vizinhos sabiam que uma acabaria por matar a outra”.

Investigação

Depois de uma década de buscas, os policiais descobriram que Francisca tinha fugido para Curitiba. Com apoio da equipe do delegado Cristiano Quintas, da Delegacia de Homicídios, conseguiram capturá-la.

O assassino ainda é procurado. Segundo a investigação, Francisca se relacionava com criminosos na época do homicídio e combinou com um deles a morte de Solange. “Ele disse que era para Solange aprender a não mexer com ela”, completou Aline.