O envolvimento com o tráfico de drogas pode ter sido o motivo da morte de Magno Aparecido de Lima, 27 anos, assassinado com vários tiros, por volta de 20h40 de quarta-feira.

O crime aconteceu num beco que tem acesso pela Rua Arthur Muller, no Xaxim, quando ele estava acompanhado da namorada. Dois homens armados chegaram no local, foram direto em Magno, efetuaram o disparos e correram até um carro escuro, que os aguardava em uma rua transversal.

Mara Dalva, moradora da região, disse que havia contratado Magno para ajudá-la na mudança durante o dia, e à noite, quando ela foi conversar com ele novamente, cruzou com os matadores fugindo. “Disse para o Magno ficar quietinho e chamei o Siate, mas logo ele perdeu os sentidos e morreu”, contou a mulher.

Pista

Edson Luiz dos Santos, irmão de Marcelo Luiz dos Santos, assassinado há dois anos, a facadas, não se espantou com o crime. “Mais cedo ou mais tarde a hora dele ia chegar. Meu irmão era traficante e tinha contratado Magno, mas ele sucumbiu ao dinheiro e armou uma tocaia. Levou meu irmão até um matagal e junto com outros drogados o mataram com mais de 10 facadas”, contou Edson.

Os policiais militares do 13.º Batalhão não deram nenhum informação relevante, mas acharam conveniente isolar todas as entradas no beco, e tanto a imprensa, quanto moradores, que precisavam entrar em suas casas tiveram que aguardar por quase três horas até o corpo ser recolhido ao Instituto Médico-Legal. Investigadores da Delegacia de Homicídios que estiveram no local disseram que a namorada, que estava junto na hora do crime deve ser ouvida hoje.