O delegado Eric Tutia Guedes, de Rio Branco do Sul, ouviu ontem uma das últimas pessoas que viram Tatiane Schaidt, 28 anos, antes de a jovem ser encontrada morta. Trata-se de um coronel reformado do Corpo de Bombeiros que teria almoçado com ela, no dia do desaparecimento (14 de junho).

O oficial compareceu espontaneamente à delegacia e negou que mantivesse relacionamento amoroso com a vítima, ao contrário do que a família de Tatiane havia comentado. Ele disse apenas que era uma amigo da família e que ajudava Tatiane em alguma necessidade.

A jovem foi encontrada, morta a tiros, na segunda-feira, em Itaperuçu. O delegado deve colher ainda declarações dos familiares e amigos da vítima. Os primeiros levantamentos da polícia apontam que a jovem tinha envolvimento com drogas e que chegou a ser internada em clínicas especializadas. A família dela não confirmou as informações.