Policiais militares do Batalhão Ambiental deflagraram, nesta quinta-feira (30), operação contra a caça ilegal no Parque Nacional do Iguaçu, na região oeste do Paraná.

A operação, intitulada como “Operação Rodentia”, prendeu seis pessoas com armas, quilos de carne, objetos utilizados na caça e também 12 pássaros silvestres. Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão.

A operação aconteceu de forma simultânea nas cidades de Capitão Leônidas Marques e Boa Vista da Aparecida. Segundo o tenente Kops, comandante do primeiro pelotão da 5ª Companhia do Batalhão, os policiais chegaram aos suspeitos de caça através de denúncias feitas pela própria população.

A intenção dos policiais era ir à busca dos caçadores de animais silvestres, como paca, cotia, cateto, capivara e alguns outros. “A própria Polícia Militar pediu os mandados de busca e apreensão e assim que nos foram concedidos, fomos atrás de cumpri-los”, explicou o tenente.

Nas casas dos suspeitos de caça, os policiais encontraram 10 armas longas, duas de médio porte, aproximadamente 10 quilos de carne de caça e 15 pássaros silvestres. Também foram apreendidos dois silenciadores e três lunetas. As pessoas detidas estavam com as armas. Dos seis suspeitos encaminhados à delegacia, quatro ficaram presos e dois assinaram termo circunstanciado.

Ilegal

A caça é vista por muitas pessoas, principalmente do interior do Paraná, como uma prática cultural. “Muitas pessoas não veem a caça como crime, embora saibam que seja crime”, explicou o tenente.

Os policiais percebem que as pessoas que os caçadores entendem a prática como um hobby, algo inofensivo, mas esquecem de que estão infringindo a lei. “Geralmente são pessoas que trabalham, têm família, e que aproveitam os finais de semana para caçar. Mas pela lei, caçar é crime. Principalmente no parque nacional, que é uma área de conservação”, alertou.

O Batalhão Ambiental tem recebido, nos últimos meses, muitas denúncias a respeito da caça. Segundo o tenente, foi justamente através destas denúncias que os policiais conseguiram encontrar os suspeitos.

A colaboração da população é importante, principalmente na hora de lembrar que não existe forma legal de caça, exceto com autorização do IBAMA em casos muito específicos, conforme explicou o tenente Kops.