Mais de três mil policiais participam da Operação Nhapecani, em todo o Paraná, que começou às 6h de ontem e termina na noite de hoje. A intenção, segundo o comandante-geral da Polícia Militar, Roberson Luiz Bondaruk, é “congelar” as principais vias urbanas e rodovias para combater todos os crimes. “Queremos causar insegurança no criminoso. Impedir ou dificultar o trânsito de procurados ou de pessoas que carregam drogas, armas ou contrabando”, explicou.

Simultaneamente, nas áreas de fronteira com o Paraguai, no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, ocorre trabalho semelhante. No Paraná, são 330 pontos de bloqueio, 80 apenas em Curitiba. Os pontos mudarão de endereço ao longo da operação. “As pessoas recebem a informação que o bloqueio está ali, e param de passar naquele lugar, por isso é importante movimentar as equipes”, explicou o coronel.

Nome

A operação foi batizada com o nome da ave de rapina, harpia, que tem as garras mais fortes da natureza, segundo Bondaruk. A Nhapecani está no brasão do Paraná e é símbolo da Polícia Militar. Também participam da operação a Polícia Civil, as polícias rodoviárias Federal e Estadual, a Receita Federal e a Polícia Federal. O balanço da Operação Nhapecani será divulgado na próxima segunda-feira.

Veja na galeria de fotos o trabalho da polícia.