Familiares da comerciante Marta Gonçalves, 42 anos, procuraram a Tribuna para esclarecer que a mulher não atirou em seu ex-amásio, Jeferson Dalcol, 22, e depois tirou a própria vida, na noite de sábado. "Foi ele quem matou minha mãe", denuncia a filha de Marta, Jackeline Gonçalves, 21 anos.

A garota contou que, no sábado, sua mãe estava feliz, até a chegada de Jeferson, com quem ela tinha terminado um relacionamento amoroso há dois meses. "Quando ele chegou, a minha mãe falou para ele entrar. Os dois ficaram no quarto e começaram a discutir", salientou a jovem. Ela disse que durante a discussão a mãe saiu do quarto com o olho esquerdo roxo e deu um beijo nela e na sua irmã. Depois retornou para o quarto. "Acho que foi ela quem pegou o revólver, mas eles brigaram. O Jeferson tomou a arma dela, os dois lutaram e vários tiros foram desferidos", contou Jackeline.

A moça disse que Jeferson repetiu várias vezes que não era ele quem tinha atirado. "Não acredito nele. Minha mãe não iria tirar a própria vida", ressaltou. Ela alega que o rapaz procurava sua mãe para pedir dinheiro. Até a tarde de ontem, Jeferson continuava internado no Hospital do Trabalhador, mas não corre risco de morte.