Para que a mãe não fosse vítima de uma nova agressão, dois adolescentes pararam o padrasto a tiros. O.A.B., 36 anos, foi atingido por três tiros e mesmo assim relutava em aceitar o socorro do Siate.

A confusão teve início por volta das 13h de ontem. Policiais do Batalhão de Guarda passavam com a viatura pela Avenida Victor Ferreira do Amaral e perceberam a correria em frente a uma residência. Pediram apoio do Siate para socorrer O.A.B. e da RONE para apanhar a arma do crime.

O padrasto confessou que agredia a companheira quando um dos jovens atirou. Contudo, a mãe não permitiu que seus filhos e seu amásio dessem informações sobre o que aconteceu para a polícia e para a imprensa. Vizinhos e amigos da vítima também fizeram o possível para afastar policiais e repórteres da casa.

Totalmente alcoolizado, O.A.B. não queria ir para o hospital e teve de ser colocado à força no interior da ambulância. O esforço dele na resistência aos socorristas fez com que seu quadro se agravasse ainda mais, com grande perda de sangue. Ele chegou em estado gravíssimo ao Hospital Evangélico. Os tiros acertaram seu peito, o braço e as costas.

Depois que a mãe saiu do local, acompanhando a ambulância, o revólver calibre 38 utilizado pelos adolescentes foi localizado em um terreno nos fundos da casa. Os dois jovens foram detidos e encaminhados à Delegacia do Adolescente para interrogatório, ocasião em que deveriam explicar em detalhes o que aconteceu e também dar informações sobre a procedência da arma que usaram.

Anderson Tozato
Garotos acusados do crime foram detidos no local.