Um estudante, de 13 anos, foi agredido na madrugada de quinta-feira, em sua casa, no centro da cidade. Ferido, ele foi encaminhado ao Hospital Cajuru, onde os médicos constataram traumatismo craniano. Até a tarde de ontem, o garoto permanecia internado. Segundo amigos da família, que preferem não ser identificados, o menor foi agredido pelo padrasto e pela própria mãe.

A confusão começou quando o padrasto acordou às 4h e viu o menor no computador. Ele não gostou e perguntou se o garoto já havia feito a lição do colégio. O estudante sentou para fazer a tarefa e o padrasto foi corrigir. Porém, alegou que estava incorreta e começou a chamar a atenção do enteado, que o respondeu. Irritado, o homem agrediu o garoto e o jogou contra a parede. Com o barulho, a mãe do garoto acordou e pediu para que o padrasto segurasse o adolescente, para que ela o agredisse, usando uma cinta. Pouco depois, o garoto foi para a escola. Sentindo-se mal, ele entrou em contato com o pai, que é médico e o levou para o hospital.

Ontem a reportagem procurou a Delegacia de Homicídios para saber do caso. O delegado Luís Alberto Cartaxo de Moura, titular da DH, disse que não tinha conhecimento sobre o assunto e que a delegacia não é competente para instaurar inquérito, já que a autoria é conhecida. A competência é do 1.º Distrito (centro), mas até a tarde de ontem o delegado Silvan Pereira não tinha conhecimento. O distrito deverá instaurar inquérito para apurar os fatos.